Chamada em Português

Convocação à manifestação do dia da luta das mulheres* de 2016

Destruir barreiras junta*s
em todo o lado no mundo! Na Argentina e na Índia, centenas de milhares protestam contra a violência contra a mulher*. Em Espanha e na Irlanda, centenas de milhares manifestam pelo direito ao aborto. Nas ruas de Berlim, activista*s impedem a marcha das autoproclamadas salva-vidas*. Mulheres* em todo o mundo se empenham em numerosos projetos pela proteção do ambiente e para condições de vida e de trabalho humanas e dignas. Na Alemanha, assalariados do setor social e da educação fazem greve por uma apreciação acentuada do trabalho deles. Em Rojava, o Curdistão Sírio, as mulheres* lutam de forma autoconfiante contra o Estado Islâmico e estão a construir estruturas democráticas com os mesmos direitos para toda*s. O movimento internacional das mulheres* está a crescer, a ligar redes e a se organizar.

Contra a exploração e a discriminisação
No capitalismo, as mulheres* são exploradas e oprimidas duplamente
. O trabalho doméstico, na maior parte não remunerado, e tarefas sociais tais como a prestação de cuidados e de assistência continuam a ser efetuadas maioritariamente por mulheres*. Em média, as mulheres* ganham um quarto a menos do que os homens* e são particularmente afetadas pela pobreza na velhice. Mulheres* de famílias migrentes são particularmente afetadas. Pessoas, como trans e intersexuias, que não são (ou não desejam ser) incluidos nas categorias definidas, são discriminizados, considerados “anormal” e ameaçados por ataques violentos.

Refugees welcome!
Atualemente, existem 60 milhões de pessoas em fuga em todo o mundo. Por causa de guerras, do desespero social – que é também uma consequência das alterações climáticas e da degradação ambiental -, da perseguição e da expulsão. A solidariedade existente e a ajuda concreta por parte de muitos benevolentes é gigante e faznos ganhar corragem! Não podemos permitir que pessoas sejam atiradas um contro o outro – seja no que toca ao problema da habitação, seja em relação as prestações da segurança social. Por isso exigimos significativamente mais auxílios estatais e serviços gouvernamentais. Além disso, reivindicamos uma permanência segura e o direito de asilo à base antifascista! Somos contra o regulamento dos países “terceiros” e “de origem seguros”!

O feminismo contra a direita
Em toda a Europa, notamos um incremento perigoso de movimentos e partidos racistas e fascistas. Apresentam respostas nacionalistas e tribais à questão social. Enfraquecem o direito à autodeterminação sexual. Querem impor o reácionario modelo de família a todos e reclamem à abolição da educação sexual na escola. Nos exigimos of fim do § 218! Para uma vida e o amor sem tutela! Paremos AfD, NPD e Pegida!

Colónia por toda a parte
O sexismo e a violência contra mulheres* não são fenómenos importados mas onipresentes na Alemanha. Condenamos sem exceção (#ausnahmslos) a violência contra mulheres durante o emprego e a formação, ‘em casa’, no espaço público e nas medias. Não aceitamos a instrumentalização dos direitos das mulheres* para infâmias racistas.

As mulheres para a paz
Em todas as circunstâncias, o dia internactional da luta das mulheres* é também um dia de luta pela paz. Em todo o mundo, a violação é utilozada como instrumento de guerra. Fundamentalistas que se querem religiosas, como o Estado Islâmico, representam a supressão de mulheres*. Opomo-nos à guerra, ao armamento, à militarização e à instrumentalização dos direitos das mulheres*! Exegimos o final da partecipação em guerras por parte da Alemanha como também o final da exportação de armas!

O dia internacional da luta das mulheres* representa a luta pela igualdade legal, política e económica como também a luta por uma vida autodeterminada, pelo direito à educação, à integridade física e à autodeterminação sexual de todas as raparigas* e mulheres*. Lutamos por uma sociedade sem exploração e opressão de pessoas e da natureza! Solidárias, críticas e offensivas contra a situação existente!

Ainda existem demasiadas barreiras – demulamo-las juntas!

Saimos à rua no domingo, die 6 de março!

Berlim | Rosa-Luxemburg-Platz

Prelúdio: 12.00 | Início da manifestação: 13.00

+++++++++++++++++++++++++++

* = Com o asterisco (*) depois dos termos mulher*, homen* a rapariga*, incluimos explicitamente todos os sexos e identidades de género.

Aliança pelo dia da luta das mulheres*

Contacto: info@frauenkampftag.eu

Advertisements